quarta-feira, 11 de setembro de 2013

ENCONTRO BOCA DE LEÃO, 10 DE SETEMBRO DE 2013

Leitura, Estudo e Produção!
O encontro de hoje teve início com uma breve apresentação de todos, para que os nossos convidados especiais, os escritores: Elena Mattos e Marcos Meira pudessem saber um pouco das pretensões de cada um em relação à sua participação na Oficina Literária Boca de Leão.

Após as apresentações individuais, Evandro Jair Duarte apresentou alguns livros infantis de sua preferência, falando sobre a intenção de cada volume e seus autores. Neste contínuo, a Coordenação apresentou a Coletânea dos "Contos de Grimm", tradução do alemão: Tatiana Belinky - Ed. 1989.
Outro livro apresentado foi as "Fábulas 2", de Mary França. Com ele o leitor pode pensar em duas épocas diferentes; uma é a Grécia do século VI a.C., quando as fábulas foram criadas por Esopo, um fabulista de origem grega que, para alguns pesquisadores, nascera no início do século VII a.C., ou final do século VI a.C., cujo local de seu nascimento é incerto. Heráclides do Ponto na obra Acerca dos Samios, afirmava que Esopo nascera na Trácia (região da Ásia Menor). Ele foi um personagem quase mítico. O mais certo de sua história é que ele teria morrido em Delfos, onde o executaram injustamente, segundo descreve Heródoto e o próprio Suda. Segundo Heródoto, Esopo foi escravo de Jádmon, cidadão de Samos, juntamente com uma escrava chamada Ródope. na Retórica, Aristóteles afirma que Esopo teria uma vez discursado na Assembleia de Samos, em defesa de um demagogo. Por sua vez, Platão cita o nome de Esopo no diálogo Fédon, o que leva muitos a concluírem que suas fábulas eram muito conhecidas nesse momento histórico posterior. Suas Fábulas, assim como outras, foram possivelmente a ele atribuídas, sendo reunidas pela primeira vez por Demétrio de Faleros, início doséculo III a.C. Ver também em AVELEZA, Manuel. As Fábulas de Esopo (Texto Bilíngüe). Rio de Janeiro, 1999, ISBN 8585575956.
Esopo (de Diego Velásquez)
É considerado o maior representante do gênero literário "Fábulas" por possuir o dom da palavra e a habilidade de contar histórias curtas retratando animais e a natureza, com finais cheios de morais. Suas fábulas também inspiraram Jean de La Fontaine, sendo objeto de milhares de citações por meio da história (Heródoto, Aristófanes, Platão, além de diversos filósofos e autores gregos).

Outra época das Fábulas é a contemporaneidade com as histórias de Esopo (Fábulas) sendo contadas e recontadas, passando por inúmeras adaptações, sendo transmitidas de geração à geração, mostrando que a cultura de cada país nunca deixa de ser atual.
 
Este volume traz fábulas do Brasil e de outras partes do planeta, arrancando risos e provocando estranhamentos em públicos de todas as idades, pela simplicidade especial retratada em cada Fábula. Neste seguimento, foi apresentado o livro "O novo conto catarina", vários autores, organizado por Regina Carvalho (Editora da UFSC). Uma edição em homenagem às histórias curtas, pertencentes às mais novas gerações de escritores, em especial, os catarinenses.
 
Em seguida, prosseguimos com a primeira apresentação da tarefa de casa, com uma leitura feita por Elena, a nova integrante do grupo, que participou deste encontro nos trazendo uma grande surpresa à mesa de estudo para leitura oral, seguida da análise textual em grupo, o conto: "O Menino e o Mar" (autoria de Marcos Meira que, estando presente, acompanhou o processo de análise). Ao final de cada fala, o autor, emocionado, expressou seu sentimentos, deixando que um pouco de lágrimas banhassem sua face avermelhada. Seu conto provocou uma série de discussões pertinentes ao processo de organização textual, do título ao clímax.
 
Após a primeira leitura e sua análise, a coordenadora leu o conto "O Perfume de Vovó", uma criação de Antonieta Mercedes (na foto acima à direita, entre o escritor Marcos Meira e Cida Facioli), integrante do Grupo Boca de Leão. ficando a análise de seu conto, para o próximo encontro, quando teremos que repetir a leitura, O texto é resultado da técnica de criação literária, batizado pelo grupo: "O Frasco Inspirador".
 
Após conclusão da leitura, foram feitas algumas colocações sobre a origem do conto lido, e de sua autoria, esclarecendo algumas dúvidas para melhor entendimento dos novos participantes.
Na sequência,  fechamos o nosso encontro com o momento de "criação literária", com recursos da técnica "O Frasco Inspirador", onde todos colocaram sobre a mesa os objetos solicitados (Tarefa de Casa), os quais foram utilizados por todos. O grupo teve 15 min para realizar a tarefa.Cada participante teve ao seu dispor, um objeto, podendo escolher quantos desejasse. teve escritor que incluiu mais de três objetos, para sua inspiração.
Na mesa havia de quase tudo: peruca, cartela de medicamento, rolha de garrafa, pena de passarinho, máscara...
Os novato, de início, demonstraram um certo estranhamento, mas após ouvirem as orientações, aceitaram o desafio.
Quem participou desse momento, levou para dentro de si muitas lições, por exemplo, como separar o autor do narrador - o personagem que dá vida ao texto. Refletindo, vejo estes dois sujeitos como duas irmãs tecelãs: Uma que tece os fios e outra que puxa, organizando-os cuidadosamente, para levá-los adiante.
Quem viveu esse momento único, sabe do que estou falando. Por isso, solicito a todos que enviem, por email, os seus relatos sobre a análise realizada na presença do "autor". O conteúdo solicitado fará parte do texto que será blogado, por ser um material literário muito rico em informações literárias, servindo tanto para escritores, quanto para contadores de histórias.

Evandro, grande AMIGO e COMPANHEIRÃO, fotografou alguns momentos deste encontro.
Ao final, fotografamos o grupo (foto a ser postada), nos despedindo e agradecendo a oportunidade de estarmos juntos, compartilhando ideias, conhecimentos, emoções, crescimento: OBRIGADA A TODOS PELA INESQUECÍVEL OPORTUNIDADE!
ATENÇÃO! Não esqueça de trazer a sua produção feita neste encontro, para ser lida no dia 24 de setembro. Depois de digitá-la, envie por email. suas produções estarão sendo arquivadas para a nossa futura edição. Quem ainda não enviou a criação do encontro passado, envie juntamente com esta.

Grande Matilha! Deixo um abraço fraterno e um beijo no coração de todos, porque hoje (e como sempre) vocês aromatizaram o jardim da minha memória, fazendo desabrochar novas flores.
                                                                                                    Claudete da Mata
                                                                    Florianópolis, SC, 10 de setembro de 2013