quarta-feira, 28 de maio de 2014

DIA 29 E 30 DE MAIO, NA BIBLIOTECA PÚBLICA DE SANTA CATARINA, FOI ASSIM!


A Biblioteca Pública de Santa Catarina também partiu de um sonho não sonhado só. Ela completou 160 anos no dia 31 de maio!
DIA 29 DE MAIO

Na comemoração de seu aniversário, com início nesse dia, deu-se a abertura com a palavra das autoridades presentes e



 os Parabéns aos 160 anos da histórica Biblioteca Pública de Santa Catarina, com a presença de seus bibliotecários e toda a equipe de servidores.


 Foi uma tarde de lançamento do livro catálogo de jornais que fazem parte do acervo histórico da BPSC, desde o século passado. e uma conversa com escritores de Santa Catarina.

DIA 30 TEVE CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS COM A TRUPO BOCA DE LEÃO
Tio Alonso com sua barba vasta e graúda, abriu a rodada de histórias com Claudete da Mata, caracterizada de Dona Baratinha narrando sua histórias:
A barba do tio Alonso
Autora: Emma King - Farlow

Ilustração cênica, foi montada com objetos de improviso, por Claudete da Mata!


A barba do meu tio Alonso
era tão vasta e graúda
que vivia nela enrolada
um montão de gente miúda:

um veterinário e seu coelho,

um doutor, um agricultor,
uma freirinha gorducha,
tinha até mesmo um ator!

Fosse minha a sua barba,
eu não gostaria por nada
que aquela gente engraçada
fizesse dela a morada.

Mas tio Alonso, ao contrário,
parecia apreciar:
"Pois me fazem companhia,
e tenho com quem papear
e uma boa conversa...
melhor coisa não há!"
(Texto inicial, do livro A barba do Tio Alonso/Emma King-Farlow)

Em seguida, Andrea Dias entrou em cena com o conto do "Jacaré"


Um conto cheio de animação com o boneco Jacaré contador de histórias.


Depois de encerrada a história o Jacaré voltou para dentro de sua caixa.

Era a vez da segunda história que saiu de dentro da mala, que não foi registrada!

A contadora de histórias Aparecida Facioli narrou uma releitura de sua autoria: O Gambá e a Toupeira, sem tempo para narrar O lobo e os sete cabritinhos, tão esperado pelas crianças. Então ficou para uma próxima vez.
Ao final:
Após todas as narrações de Claudete da Mata ao lado de seu amigo-irmão Joel Vigano (ator e contador de histórias, atualmente morando no Rio de Janeiro), Idê Bitencourt (que não foi registrada r falta de quem o fizesse) e Aparecida Facioli (de blusa vermelha), registraram este momento com os alunos da "Escolinha de Arte" do Centro Integrado de Cultura - CIC/FCC.

E no dia 02 de junho de 2014 nasceu a primeira Academia de Contadores de Histórias do Brasil - A primeira de outras tantas!

Você foi nosso convidado!