sábado, 5 de julho de 2014

AOS NOSSOS LEITORES!

 
(Desenho:ericksonianamente.blogspot.com.br)

Querido leitor!

Venho solicitar a você que, estando o Blogger "Oficina Literária Boca de Leão" ao alcance da sua expectativa e seu interesse, então nos siga!!!

Assim você estará contribuindo para aumento do nosso índice de seguidores!

Certa de que cada um de nós traz um contador de histórias guardado à sete chave, vivo a escrever e a contar histórias...

Somos todos contadores de histórias, você sabia? Sim! Por exemplo, falamos das nossas recordações, a começar pela nossa infância repleta de acontecimentos e até alguns segredos, por isso, nos tornamos únicos ao transmitir o que vivemos, tudo o que observamos ao nosso redor. Tudo isso faz de nós os contadores de histórias que passam as suas experiência às gerações futuras.

Passamos o tempo e, por mais que envelhecemos, sempre temos algo para contar e que, sem nos dar contar, cá estamos a tecer os fios da memória. então nos conectamos com o mundo por meio dos fatos  e suas tramas cheias de ideias que alegram, assustam, provocam estranhamentos, amedrontam criancinhas e adultos cheios de medo. sempre foi assim. E desde os primórdios da humanidade, as pessoas narram as suas histórias e sem perceber, elas perpetuam o contador de histórias e suas memórias. 

Então, estes viajantes do tempo, saem pelo mundo a transmitir os conhecimentos adquiridos ao longo de suas experiências, alegrando e arrancando risos e gargalhadas de gente grande e gente pequena, gente de todos os tamanhos, de todas as etnias...

Bem antes de inventarem a escrita e de escreverem os livros, nós os contadores de histórias, guiados pelos fios da memória, estamos sempre no lugar certo, bem  ali aonde uma multidão de pessoas necessitam de nós para salvá-los do esquecimento de suas tradições - um esquecimento que as afasta da arte e da própria cultura.

Quantas vezes me pego pensando na existência de milhares de pessoas sem acesso à arte de ouvir histórias. Pessoas que não sabem ouvir uma contação de histórias e senti-la como uma arte milenar. Uma arte que ainda tem sobrevivido ao ao turbilhão das novas tecnologias.

Essas pessoas não têm ideia do valor de ter à sua disposição um contador de histórias resgatando de uma caixinha qualquer, ou de uma pedacinho de papel, aquela história esquecida, por exemplo, a "Dona Baratinha", já um tanto abandonada nas estantes de uma biblioteca ou no fundo de um baú qualquer, guardado num porão ou no sótão da casa da vovó...

Pessoas apaixonadas por contos, criam histórias, resgatam enredos que cativam a atenção de crianças e adultos, são pessoas que sabem desligar o relógio, usar a voz e o corpo e dar asas à imaginação. São pessoas que sabem como usar as ferramentas que constroem os mundos que contam, imaginam e encantam. Por tudo isso, estou ministrando o "curso de formação de contadores de histórias" para não deixar que eles morram esmagados pelas novas tecnologias.

Enquanto existir um contador de histórias, o mundo terá crianças imaginativas!

A você deixo o meu ABRAÇO FRATERNO - O ABRAÇO DE UMA VELHA CONTADORA DE HISTÓRIAS!

Claudete T. da Mata, ministrante e coordenadora da Oficina Literária Boca de Leão, professora pós-graduada em Psicopegagia Clínica e Educacional, Arte-educadora. Investigadora literária, apaixonada pela Arte de contar histórias e pelo Ser Humano, desde a tenra idade quando começou a fundir seu crescimento pessoal permeado pelos contos da tradição oral ao pé do fogão à lenha. Apaixonada pelas expressões artísticas e seus diferentes gêneros, com dedicação aos estudos da narrativa e à prática da oralidade.