domingo, 20 de julho de 2014

ENCONTRO DO GRUPO BOCA DE LEÃO - 27.06.2014



Com esse encontro, o grupo reuniu-se para uma introdução ao processo de análise literária com o estudo da narrativa, uma necessidade encontrada pelo grupo, para o refinamento do processo de criação literária consciente.
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA NARRATIVA

O texto levado ao grupo, baseado no livro de Gancho (2006, pág. 7 a 79), apresenta de maneira modesta as suas contribuições aos iniciantes sobre o processo de análise literária. A autora, no decorrer textual, mostra como fazer o estudo da narrativa de maneira expressiva.

Observa-se neste contexto teórico, não somente desta como de outros autores, que tal interesse não se limita somente ao tradicionalmente chamado campo de estudos dos gêneros literários. Ao contrário, observa-se que a cada dia, mais e mais estudiosos ligados à área da cognição humana, vem procurando no estudo da narrativa os elementos que os levam ao entendimento e às descobertas dos mecanismos intrínsecos ao pensamento humano. Como se vê isso não tem despertado somente o interesse dos escritores preocupados com o refinamento do seu fazer literário, como também de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento (psicologia, neurolinguística, semiótica, ciências da informação, comunicação...) que se dedicam ao estudo sistemático das narrativas, tanto da literatura escrita quanto da narrativa oral, todas produzidas desde os primórdios da humanidade.

Independentes das suas condições cognitivas, por exemplo: as publicações pictóricas em pedras, esculturas, arquitetura, escrituras e gravuras em livros e trabalhos de pesquisa, cada qual traz no seu bojo a associação da narrativa nas suas diferentes formas de pensamento. Há de se considerar a força da narrativa no processo de organização e representação do pensamento humano. Pode-se ver o quanto temos há conhecer sobre o pensamento narrativo, além da importância desse estudo no entendimento do pensamento do outro. Com os trabalhos colocados em pauta, propõem-se ressignificar os valores contidos nas narrativas, visando a organização do pensamento no aprimoramento do fazer literário, de forma consciente. 


ESTUDOS DA NARRATIVA

O estudo do texto busca atender às necessidades de escritores e contadores de histórias comprometidos com o fazer literário escrito e oral. Desta forma buscamos conhecer os meios necessários de se chegar a este estudo, trabalhando com a didática da associação da clareza no tratamento dos conceitos dos textos literários capazes de corresponder às necessidades de compreensão do escritor/leitor, de modo que o auxilie no processo de análise literária, como:

- Estudo e análise de textos ficcionais;
- Elementos fundamentais da narrativa;
- Análise dos elementos e dos discursos da narrativa;
- Apresentação de um roteiro de análise literária.

Assim estaremos auxiliando o escritor/leitor no processo de análise literária com sugestões de leituras que viabilize a sua entrada no universo ficcional com conhecimento dos caminhos feitos até ele.

NARRATIVA LITERÁRIA

O estudo da narrativa busca compreender as questões inerentes à prosa sem aprofundamentos teóricos, priorizando a naturalidade no processo de análise dos contos ficcionais.

Analisar um texto e compreendê-lo facilita a familiarização do escritor/leitor com a leitura, sem perder de vista a sua visão subjetiva, visão indispensável à análise literária que dá ao leitor das narrativas maior segurança ao trilhar pelos caminhos da análise literária. 


ELEMENTOS DA NARRATIVA

O processo de análise leva o escritor/leitor ao conhecimento dos elementos fundamentais da narrativa a começar pelas seguintes questões:

O que aconteceu?
Quem viveu os fatos?
Como?
Onde?
Por quê?

Elementos da Narrativa: Enredo, Personagens, Tempo, Espaço e Narrador.

Narrar é uma manifestação que acompanha os seres humanos desde sua origem. As gravações em pedras, os mitos, a bíblia, por exemplo, são narrativas transmitidas através das gerações.

Na atualidade podemos encontrar uma série de narrativas mais modernas, como: tele novela, filmes de TV, tele jornal, desenhos animados, videogames, etc. Inúmeras possibilidades de narração oral ou por escrita, em prosa ou em verso, usando imagens ou não. Neste contes, estaremos nos concentrando nas narrativas literárias sem nos aprofundarmos no contexto dos gêneros narrativos.

GÊNEROS NARRATIVOS

Os gêneros englobam um número ilimitado de textos que variam em função da época, da cultura e das finalidades sociais, podendo ser considerados narrativos por contarem de modo direto ou indireto um acontecimento real ou imaginário.

Na definição de Aristóteles, os gêneros literários podem ser identificados segundo a forma e o conteúdo.

Quanto à forma os gêneros são versos e prosas, e o que distingui esses dois modos de expressão é o ritmo da linguagem. Exemplificando: na poesia o ritmo da linguagem é imprescindível pela sua musicalidade. Na prosa o ritmo acontece pelo desencadeamento lógico.

Quanto ao conteúdo, eles são épicos, líricos e dramáticos.
• Épico: é a narrativa com temática histórica; são os feitos heroicos de um determinado povo.
O narrador conta os fatos passados, apenas observando e relatando os feitos objetivamente, sem interferência, o que torna a narrativa mais objetiva.
• Dramático: é o gênero ligado diretamente à representação de um acontecimento por atores.
• Lírico: gênero essencialmente poético, que expõe a subjetividade do autor e diz ao leitor do estado emocional do “eu-lírico”.

 TIPOS DE NARRATIVAS

• Romance
• Novela
• Conto
• Crônica

O foco narrativo a ser estuda pelo grupo concentra-se no gênero conto.

(Resenha elaborada por Claudete da Mata, Junho de 2014, Florianópolis/SC)


Bibliografia

GANCHO, Cândida Vilares. Como analisar narrativas. 9 ed. SP. Ática, 2006.
 
OBS.
Ao final desse ciclo de estudo, foi realizada uma leitura do conto de Cortázar e repassada as orientações para a tarefa a ser apresentada no encontro do dia 11 de julho.
 
Tarefa: 

Registre a impressão que você teve ao fazer a leitura do conto (em casa); depois escreva uma palavra chave (pode ser uma frase); você poderá ver em que tempo e espaço acontece a história.