sábado, 11 de outubro de 2014

26 DE SETEMBRO - ESTUDOS DA NARRATIVA, COM O GRUPO BOCA DE LEÃO!

Nesse encontro, a maioria do grupo não compareceu. Mas quem esteve presente, saiu satisfeito com os informes sobre alguns segredos do processo de análise da narrativa, realizados com o auxílio da graduanda em Letras Alemão, que muito tem auxiliado o grupo no esclarecimento desse processo em que o Grupo Boca de Leão está inserido desde o mês de maio do corrente.


Nalin Leal, também formada em design gráfico, agora graduando do curso de  letras da Universidade Federal de Santa Catarina, com sua linguagem de fácil compreensão, sem as complicações dos termos técnicos, tem colaborado muito com o entendimento do estudo em grupo. 

Todos estão enriquecendo os seus conhecimentos literários e vendo o quanto estão mais preparados a cada encontro. Prova disso está nas suas atuais leituras e nas produções textuais, cujo processo de criação passou a ser mais analisada por todos e a escrita tornou-se mais consciente, livre do fazer pelo fazer.

Nesse encontro, Nalin estaria desenvolvendo uma técnica de levantamento do perfil de cada escritor, mas como os demais não estavam presentes, ela deixou uma tarefa a ser aplicada no dia 17 de outubro, para que após o seu retorno de São Paulo, ela concluíra este núcleo de estudos e pesquisas da análise da narrativa no primeiro encontro de novembro, preparando o grupo para uma nova fazer de estudos. 

E para não nos deixar sem a sua aula sobre análise da narrativa, Nalin fez a leitura de texto, que será repetido na reunião de novembro, e conversou sobre a mesma. Foi uma conversa literária que abriu um leque de discussão muito produtiva, a qual indicou outros meios de se chegar à análise textual com mais propriedade. Algo indispensável ao escritor interessado pelo refinamento de sua escrita. A conversa estava tão saborosa que ninguém queria parar.

Ao final fomos tomar um café com gosto de letras, caneta, ideias e muita imaginação.
 Nalin (de costas com seus cabelos longos) ao lado de Mareli, atentas à escritora e contadora de histórias aparecida Facioli que falava sobre as suas leituras. e a Idê refletindo sobre o que ouvia. Enquanto isso eu consegui registrar esse momento.

Querido leitor, estar dentro da Biblioteca Pública de Santa Catarina, bem no centro de Florianópolis, rodeada por água salgada, entre matas, pássaros, outros animais e muito cheiro de flores, desenvolvendo as atividades da Oficina Literária Boca de Leão, é o mesmo que estar dentro de uma casa com mil pernas, braços, muitas cabeças com seus neurônios a nos provocar e milhões de asas a nos levar para todos os lugares que desejamos estar...

Dia 17 de outubro estaremos de volta nesta casa, para colocar em prática tudo o que aprendemos e realizar as tarefas deixadas pela nossa universitária.