segunda-feira, 30 de março de 2015

O SUMIÇO DOS OVINHOS!

Autoria: Dora Duarte

Numa cidade pacata, numa rua pequenina... Crianças brincavam de cantiga de roda, como nos velhos tempos de seus pais.

Era época de páscoa. Toda família daquela cidade comemorava com festa. Era considerada a maior festa cristã por todos daquele lugar. 

Como em muitos lugares, após a cerimônia religiosa, era de tradição, quando voltavam da igreja a criançada invadia os quintais de suas casas à procura dos seus devidos ovos de páscoa.

Eram ovos de galinhas, patas... Todos bem pintados e decorados pelas avós, assim como, muitos ovinhos de chocolate que um coelho metido a “carteiro” deixava em cada casa.

Para surpresa geral, alguém sempre gritava:

- Cadê os oooovos!!!

Era aquele alarido. Criança corria de um lado para outro, perguntando as outras crianças da vizinhança... Mas ninguém sabia, ninguém viu, ninguém respondia.

Os pais abismados, questionavam: 

- E agora? - falava uns.

- Vamos ajudá-los a achar esses ovos de Páscoa, vamos? - diziam outros.

E todos falavam ao mesmo tempo:

- Um por todos e Todos por um!

Naquele lugar não existia quintais cercados. Eles eram divididos com plantas e árvores, sem impedimentos de passagem. 

E, corre daqui, vira moita, olha atrás da pedra, tropeça em brinquedos largados no quintal... Revira acolá. E nada!

Um pai grita:

- Vou pegar a minha lupa, vou investigar esse desaparecimento!

De repente, acriançada...

- EBAAAAAAAAA!!!!
    
E.foi assim... O pai “investigador” seguiu umas pegadas.

- Vejam isto, corram aqui!

Juntou-se toda a criançada e seus pais. E todos caíram na gargalhada.

- KAKAKAKAKAKAKA...

Não é que a mamãe coelha,  responsável pela entrega dos ovinhos, havia dado a luz a um monte de coelhinhos sapecas. Eram muitos. Ela estava ensinando a eles como carregar na boca as cestinhas cheias de ovos.

De repente, lá iam os coelhinhos sapecas, bebês ainda, levando as cestinhas de ovos à criançada. Eram muitos ovos. Eram de todas as cores, tamanhos e sabores, que os bichinhos não davam conta. De tantos que eram, os coelhinhos chamaram a mamãe galinha e a mamãe pata para carregar também. Nem assim deram conta de levar todos os ovinhos.

Foi então que eles resolveram colocar o restante dos ovos numa cama de capim verde. Certamente, para depois buscar.

A alegria foi geral. Os vizinhos combinaram fazer um almoço comunitário. Nem a bicharada ficou de fora.

Dizem que todos os ovinhos foram entregues à criançada. 
  

FELIZ PÁSCOA!