sábado, 9 de maio de 2015

Quem pegou a Minha Memória?

Onde está a Memória que estava aqui?

Dizem que  foram  grudadas nas  asas de uma almas sensível...
Quem sabe...
Numa alma insana. 

Onde está?

Sonhei com uma delas esculpida nas entrelinhas do Passatempo de um menino...
Quem sabe ele a deixou esculpida numa almas caninas ,
Ou em outras almas...
Não sei!
Mas, se  dizem ser Todas  a mais pura manifestações da vida,
Então,
Quem sabe uma das Memórias está lá

Numa das almas caninas do seu convívio.
Eles também Dormem e Gemem feito filhotes,
Expressam-se...
Se não é  uma manifestação da memória
Estes Sorrisos,
O que será?
É Sonho?
E o que é Sonhar?
Você já parou para pensar nisto?

Assim,
Falando  cá com os meus Botões,
Sinto As Memórias  ganhando corpo.

Elas ficam grandes,
Às vezes gigantes,
Outras vezes  pequenas,
Às vezes minúsculas, 
Que podem passar montadas  no lombo de uma brisa
Por um quarto escuro...
Sem serem percebidas.

Tem umas que se escondem embaixo da nossa cama,
Onde ficam,
Crescem ao serem olhadas.

Elas vão criando
E recriando um paraíso  de  experiências ,
De pessoas,
De tudo aquilo que é olhado por olhos grandes.

Dizem os mais entendidos,
Que são pura mistura de Memórias 
Que
Preservam a Identidade de cada Ser,
Até das Almas Caninas,
Onde escrevem o Seu Viver,
Sua razão de  Ser,
Seu jeito de Estar
Seu Devir-ser.

É o mesmo acontecendo agora em Você!!!
      
 Memórias no mundo,
Fora do Mundo,
Crescendo com os sentimentos,
Os Alimentos...
Elas também sentem Fome,
Sabia?

     Sem  Elas, 
Como seriam os o que somos? 

Não consigo imaginar Você sem Elas...
Você consegue?

Como ficaria as partículas da
 Capacidade de criar e recriar o mundo?

 Sem Elas, 
Como seria  o fim dos sentimentos insanos dos homens?

Sem elas, 
Como seria o meu Olhar?
A História de todas as Histórias?
Eu e Você?

Então,
Como onde estaríamos agora?
(Claudete T. da Mata, 09 de Maio de 2015)