terça-feira, 18 de outubro de 2016

08.10.2016 - OFICINA DA VOZ: EMPODERAMENTO DA PRÁTICA DA ORALIDADE DO CONTADOR DE HISTÓRIAS-MEDIADOR DE LEITURA ANIMADA


(Professora da Universidade Federal de SC)
Oficina 6 - Terceira Etapa do CURSO Espaço de Histórias: Formação do Contador de Histórias-Mediador do Livro e da Leitura Animada e Compartilhada - Turma 2015 - 2016
(Projeto premiado pelo Edital/2015, Todos por um Brasil de Leitores)
Abertura: Claudete Terezinha da Mata (Presidente Nacional-Fundadora da ABCH) faz a apresentação da Ministrante da "Oficina da Voz":
 Maria Rita Polim - Fonoaudióloga e Professora da Universidade Federal de Santa Catarina, numa ação voluntária à Academia Brasileira de Contadores de Histórias - ABCH (Matriz). 
Local: Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura/CIC, uma das Casas sob a Administração 
de Maria Teresinha Debatin - Presidente da Fundação Catarinense de Cultura/FCC, instituição parceira da ABCH.

Com foco nos embasamentos da teoria e prática freiriana, o "Projeto Espaço de Histórias" foi Idealizado sob a coordenado de Claudete T. da Mata -Pedagoga, Especialista e mestre em Psicopedagogia Clínica e Institucional, Ativista de projetos voltados à arte de recitar, ler, contar, escrever e fazer mediações do livro e da leitura animada e compartilhada, em andamento desde 13.07.2015, no Centro Integrado de Cultura, após sair da Biblioteca Pública de SC, onde a autora fez a doação de seu projeto implantado em 24 de julho de 2012: Oficina Literária Boca de Leão, em andamento, agora sob a coordenação de Evandro Jair Duarte - Bibliotecário e Acadêmico da ABCH - Projeto doado à FCC, aonde nasceu o projeto da ABCH, em 02 de junho de 2014 - em andamento pleno, com suas ações levadas ao público de todas as idades a partir dos 10 anos de idade (Acompanhados de um responsável legal), diferentes áreas de atuação e interesses afins, para a inovação de estilos e a formação continuada de contadores de histórias ricos em amorosidade humana.
Primeiro Momento: Ministrante Convidada, Maria Rita Rolim - Professora e Terapeuta da fala - Fonoaudióloga, atuante na "Clínica da Voz", no HU: Hospital Universitário UFSC, falou sobre a sua prática curricular, após ser apresentada aos cursistas do projeto de Formação Continuada da ABCH: Curso Espaço de Histórias - Terceira Etapa.


Momento de conversar sobre os Sistema da Voz Fonatória, para fazer o levantamento das necessidades dos cursistas presentes no Treinamento.  Grupo Dificuldades exteriorizadas durante as narrações de histórias, cantoria, poesias, mediação de leitura: CANSAÇO NA VOZ, EMBUCHAMENTO, VONTADE DE TERMINAR O QUE ESTÁ FALANDO, COSSEIRA NA GARGANTA, TOSSE, VOZ SUMINDO, VOZ BAIXA, NO VOLUME ALTO VEM A TOSSE, RESPIRAÇÃO OFEGANTE, SECURA NA LÍNGUA, CANSAÇO PEITORAL.... Após essas apresentações, a ministrante iniciou os trabalhos com explanação teórica a contemplar cada situação, promovendo a interação dos presentes em exercícios da voz, dinâmica de escuta da própria voz - olhos fechados para o empoderamento da força da interpretação da voz por meio de registros auditivos... Mais informações, no Blog da ABCH.
Segundo Momento: Levantamento das necessidades dos cursistas presentes. Foram muitos os apontamentos, como: Coceira frequente ao iniciar a contação de histórias, tosse, tom de voz - alguns baixos, alto além da conta, mesmo estando a fazer uso de microfones, esganiçados... 
 Luana (sem óculos) revelou que se sente tímida ao iniciar uma histórias...
 Christina Juquem, sente-se apressada na hora de contar histórias. É quando procura correr com o tempo para que a narração termine logo. Sandro revela um de seus segredos no trato da voz: 
Comer horas antes das Apresentações...


Alguém busca saber sobre o bocejar e todos ficam sabendo dos seus benefícios nos estímulos internos e externos. 





*Bocejar é um relaxamento natural da laringe. 

*Para falar é preciso abrir bem as costelas...







 Abrir as costelas sem respirar pelo pescoço - mas sim pelo abdome, feito criancinha recém nascida... 




No trabalho da respiração e inspiração corretas, o Contador de Histórias consegue assumir as emoções que as histórias, cada qual no seu tempo quer transmitir.





Quando o contador de histórias está a narrar, a respiração é BUCONASAL. Também silenciosa...



Hora de abrir as costelas, exercitar-se para liberar as emoções na hora da fala narrativa.

Para o Contador de Histórias, a respiração está voltada sempre para a fala falada, aonde precisamos retratar as emoções corretamente, sem faz-de-conta. Tudo precisa ser natural. 





É preciso despertar a atenção e dirigi-la a respeitar o ritmo respiratório, com naturalidade para não travar. Isso nos revela a importância de entrar em contato consigo mesmo, no controle das emoções...
Momento antes do Café: Orientações sobre o uso da RESPIRAÇÃO. Uma ação que nos acompanha do nascimento até o derradeiro momento de nossas vidas. Por isso, o seu uso adequado da VOZ, por exercer influências no nosso ritmo de VIDA. 
A PRÁTICA DA ORALIDADE DO CONTADOR DE HISTÓRIAS, POR SER DIFERENTE DA PRÁTICA MUSICAL que, apresenta ritmos a serem exercitados de maneiras específicas... 
Já, na prática do narrador de histórias, o ritmo exige exercícios com tratamentos, também, específicos. por exemplo, aqueles narradores com voz baixa, sem condições de alcance de uma plateia espalhada num ambiente amplo, vai necessitar do uso de microfone, sem a necessidade a elevação do volume da voz.  
No uso de microfone, não há necessidade de elevação do volume da voz.
 Basta falar no seu tom natural. Sem carregar a narração.  

OBS. Nesse momento, Eu e o nosso amigo Fábio fomos à cozinha preparar o café dessa tarde cheia de saberes sobre os cuidados no uso da VOZ; tarde cheia de expressões ocultas, de exteriorização de emoções transmitidas pela VOZ...
(Foto: Sandro Moacir de Campos)
Voltei, após preparar o ESPAÇO DE HISTÓRIA com o delicioso CAFÉ DA VOZ, com o auxílio incondicional de Fábio (funcionário da FCC), encontrei os integrantes no desenvolvimento de um exercício importante ao CORPO em parceria com a VOZ. Após o exercício todos soltaram suas crianças ocultas e foram ao CAFÉ DA VOZ, no saguão em frente do Cinema do CIC.
Hora de nos confraternizar - momento da alma alimentar o corpo, com os olhos do coração. Foram mais de 1 coração a se abraçar.
Não me contive e fiz, para cada participante dessa tarde inesquecível, um MIMO nascido de minhas leituras  sobre as ABAYOMIS.
Também não me contive e recitei um poema A FAZER USO DA MEDIAÇÃO DE LEITURA ANIMADA: ELFO... 
 Do livro "Poemas e Comidinhas", de Roseana Murray - ed. Paulus. Foi um momento em que soltei o Elfo. E o público ao nosso redor, parou para ouvir. 
É isso que precisamos fazer: soltar a voz do contador de histórias de dentro de cada um de nós. Sem medo, nem vergonha de ser chamado de LOUCO. Somos e seremos sempre loucos por histórias a abrir os baús de memórias.
Este projeto foi premiado pelo Edital "Todos por um Brasil de Leitores", para equipar a ABCH e fazer as melhorias de seu espaço físico.
para os devidos cuidados em cena, também na vida cotidiana, o importante cuidado consciente do contador de histórias, é estar sempre a observar o próprio RITMO RESPIRATÓRIO EM CENA...
AGRADECIMENTOS!
EM NOME DE TODOS OS ENVOLVIDOS NESSE PROCESSO DE FORMAÇÃO, PRIMEIRO AGRADEÇO A DEUS POR TODAS AS POSSIBILIDADES A NÓS OFERECIDAS: A UNIÃO EM GRUPO, A LUZ DA IMAGINAÇÃO A NOS PROPORCIONAR AS COMPETÊNCIAS CRIATIVAS, A PARTILHA, O ACONCHEGO DO CORAÇÃO... PELO RESPEITO REGIDO PELOS PRINCÍPIOS ÉTICOS, PELA PROTEÇÃO DIVINA...
AOS AMIGOS DA ABCH, AQUI, EM ESPECIAL À MADRINHA DA ABCH: MARIA TERESINHA DEBATIN, SEMPRE A NOS ABRAÇAR SEM FRONTEIRAS, EXPRESSO MINHA GRATIDÃO, SEMPRE E SEMPRE.
À PROFESSORA MARIA RITA ROLIM, POR SUA DISPONIBILIDADE DE ESTAR A COMPARTILHAR OS SEUS SABERES CONOSCO, QUE MUITO ENRIQUECERAM AS NOSSAS PRÁXIS NARRATIVAS, BEM COMO: O PROJETO ESPAÇO DE HISTÓRIAS.
À EQUIPE DE TRABALHO DA FCC, QUE SEMPRE NOS ATENDE COM O CORAÇÃO.
AO PÚBLICO LEITOR-OUVINTE, DE TODAS AS IDADES, QUE SEMPRE VEM AO NOSSO ENCONTRO SEM FRONTEIRAS...
Sandro Moacir de Campos ofertou este cajado à futura Acadêmica da ABCH: Ana Esther Balbão Pitam. Um momento eterno.


A TODOS OS PROFISSIONAIS: ACADÊMICOS DA ABCH, CONTADORES DE HISTÓRIAS, PROFESSORES, PSICÓLOGOS... QUE CONSTITUEM O NOSSO ESPAÇO DE HISTÓRIAS, DESDE 13 DE JULHO DE 2015, EXPRESSO MINHA GRATIDÃO!
Claudete T. da Mata - Presidente de Honra da ABCH (Matriz).