segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

RELATO DE UMA DAS MINHAS ALUNA DA PÓS GRADUAÇÃO EM LITERATURA INFANTIL E JUVENIL, E A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS EM SALA DE AULA - PELA FACVEST

ENCANTAR E CONTAR HISTÓRIAS

Aluna: Solange Lourdes Pereira
Professora: Claudete
Relatório das aulas:

Bem ao me deparar com a professora a primeira coisa que me veio foi de como era uma figura exótica, senti algo diferente com relação aos outros professores. E não estava enganada depois de nos apresentarmos e ouvir sua história, e de como chegou até ali pude entender que a sensação que havia tido era de estar de frente a alguém especial. Sua primeira contação de história foi nos relatando sua trajetória de forma mágica e assim foi se passando o tempo e nossa manhã se foi em grande estilo.
Um contador de histórias precisa ir além do contar, ele precisa sentir e experimentar a história a ser contada para que esta faça sentido para quem o assiste, e foi isso que nos foi transmitido com tanta verdade no decorrer do nosso dia. Ver a leveza e a sensibilidade com que você conta uma história nos mostrou o quão é possível viajar em nossa imaginação e fazer com que outras pessoas viajem conosco. Foi incrível poder fazer um pouco do que aprendemos com você naquela tarde, e entender que a repetição e a persistência podem nos proporcionar o alcance de nossas metas e sonhos.
Agora nossa tarefa era selecionar uma história para que você liberasse então para a contação. Bem busquei uma história com um texto simples, porém, gostoso. Aprovada a história você como sempre atenciosa deu umas dicas super legais, inclusive a importância da expressão corporal e da voz e o uso de acessórios para deixar a contação ainda mais mágica.  E assim foi com todas do grupo. A aula foi deliciosa com você nos agraciando com suas histórias e nos deixando mais tranquilas para a aula seguinte.

Muita ansiedade neste último encontro, pois mais que ser avaliadas era nossa chance de demonstrar o que havíamos aprendido e apesar de todo o nervosismo creio ter cumprido meu papel com afinco. Contar uma história não é tarefa fácil e acima de tudo é um ato de grande responsabilidade para o contador, por isso sei que minha caminhada ainda é longa, mas tenho certeza que alcançarei meu sonho. E escutar de uma profissional como você Claudete que eu “levo jeito” foi para mim um degrau já alcançado. 

POSTAGEM: Claudete Terezinha da Mata